Como podemos te ajudar?

Faça sua pergunta e a Wiki Argo te responde.

Fee: o que você sabe sobre ele?

Fee é o sistema de remuneração a prestação de serviços efetuados pelas agências de viagens, baseado em volume e complexidade de serviços, ou seja, é uma taxa paralela aos seus custos de viagem.

Para cadastrá-lo, acessamos o menu “Cadastro de Fee” na barra cinza:

Precisamos informar pelo menos a data inicial de validade deste fee. Observe que pode-se mencionar se este fee é cobrado pelo simples fato de responder uma cotação ou apenas se houver emissão.

No lado direito da tela, informamos se o valor do fee é fixo (valor) ou baseado no percentual do valor da tarifa:

Note que existe um campo chamado “Forma de Pagamento”, ele refere-se a forma de pagamento da viagem. Por exemplo, se preenchemos essa opção com a forma de pagamento “Faturado”, o sistema vai desconsiderar todos os demais filtros (produto, nacional, inter, etc) e sempre que a viagem for faturada, vai cobrar este fee.

Na parte de baixo da tela, temos filtros. Se selecionamos um respectivo projeto ou motivo de viagem, este fee só será cobrado nessas situações, nas demais, ele será desconsiderado. Deixando em branco, vale para todos:

O nome do fee é apenas para controle da própria agência.

Após a configuração do FEE, as solicitações que forem geradas a partir de sua configuração gerarão a cobrança, se estiverem de acordo com as regras do FEE configurado, e poderão ser acompanhados através do relatório de “FEE” localizado no caminho a seguir: RELATÓRIOS>RELATÓRIO PADRÃO>FEE. Não é necessário nenhuma configuração adicional para o FEE ser contabilizado, porém essa informação pode aparecer no decorrer de uma solicitação para que os usuários a tenham em tela, para isso utlize as políticas “RESFEE” e a “EXIFEE

Vale ressaltar que a cobrança dessa taxa é responsabilidade da agência, ela não será transacionada junto a forma de pagamento da viagem.

Abaixo, falaremos de dúvidas comuns em relação ao tema:

Quais são os tipos de Fee presentes no relatório Argo?

  • High touch: presente em solicitações que são feitas off-line – com cotação e emissão feita pelo consultor da agência.
  • Low touch: está presente em solicitações que são abertas on-line, mas contam com cotação ou emissão em modo off-line (emissão feita pelo agente ou robô).
  • No touch: ocorre em solicitações totalmente on-line, quando a emissão e cotação são feitas pelo usuário.

 

  • O que é Fee bundle?

Fee Bundle é cobrado de acordo com um grupo de produtos selecionados. Havendo mais de um tipo de serviço na OS, como por exemplo aéreo e hospedagem, o sistema não cobrará o Fee cadastrado para aéreo somado ao Fee cadastrado para hospedagem e sim o Fee cadastrado como “Bundle”.

O Bundle pode ser configurado para emissão ou cotação e o seu uso é completamente opcional,
ficando a critério da agência.
  • O valor do Fee vem incluso no Voucher?

O valor do Fee não é apresentado no voucher pois trata de uma cobrança que é realizada pela agência – logo, o valor não é integrado ao bilhete.

  • O valor do Fee pode ser cobrado no Cartão de crédito?

O valor do Fee não será cobrado no cartão utilizado no momento da compra por ser uma cobrança paralela gerada pela agência. Você pode solicitar que gerem um relatório para ser efetuado.

  • O Fee pode ser incluído no Orçamento?

Sim, O Fee pode ser inserido no controle orçamentário desde que a Conta Contábil esteja configurada para contemplar o Fee.

  • O Fee integra com quais canais?

No Argo, o Fee possui três canais para integração: XML Stur, AIR e Webserice.

  • Quais são as Políticas que tratam do Fee?

EXIFEE: esta Política adiciona o valor do Fee na pesquisa aérea;

RESFEE: nos mostra um resumo do valor do Fee que será cobrado na solicitação;

TAXBIL: permite comparação de preços já somando taxas;

CAMFEE: possibilita a edição do campo de valor do Fee do trecho na cotação e emissão.

Como o Fee é apresentado em relatório? 

Nos relatórios, os tipos de fee serão apresentados nas seguintes classificações:

Low Touch: O viajante final inicia a solicitação, mas, ela passará pelo consultor em algum momento, provavelmente na emissão. Fica marcada a flag “selfbook” e o tipo “online”:

Neste modelo, o robô de emissão também é considerado um consultor da agência, o Argo não diferencia.

High Touch: O viajante final inicia a solicitação de forma offline, ou seja, ele clicou em “Pedir à agência”. Fica marcada a flag “selfbook”, e selecionado o tipo “offline”, por se tratar de um pedido de cotação:

Outro exemplo desta modalidade é quando o consultor inicia a solicitação, interagindo desde o começo, no fluxo online ou offline. Neste caso, desmarcamos a flag “Selfbook”:

No Touch: Para este modelo, o solicitante deve ter a permissão de emitir (vide política EMICLI) de forma que o consultor não interaja na OS em nenhum momento:

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: